google-site-verification=y41jXuas_p-EeJLicgF7NZUfGl-PC5--4l-45bsYy50
top of page

Acupuntura Alivia Dor da Herpes Zoster

A acupuntura foi considerada eficaz no tratamento da neuralgia pós-herpética (NPH), que inclui dor nos nervos devido ao herpes zoster


Acupuntura Dra Tamara | Acupuntura Herpes Zoster

O que é Herpes Zoster?

A herpes zoster é uma infecção viral que causa uma erupção cutânea dolorosa ou sensação de formigamento. As erupções cutâneas podem ocorrer em uma área limitada de um lado do tronco ou rosto ou ainda, em qualquer parte do corpo. Normalmente se parece com uma faixa de bolhas vermelhas e com líquido em seu interior. A erupção cutânea do herpes está associada a uma inflamação dos nervos abaixo da pele.


A herpes zoster é causada pelo vírus varicela-zóster – o mesmo vírus que causa a varicela, mais conhecida no Brasil por catapora. Depois de ter tido varicela, o vírus permanece no seu corpo pelo resto da vida. Anos mais tarde, o vírus pode ser reativado como herpes zoster.


As erupções não são fatais, mas são muito dolorosas. O tratamento precoce pode encurtar a infecção por herpes zoster e diminuir a chance de complicações. A complicação mais comum é a neuralgia pós-herpética. Esta é uma condição dolorosa que causa dor no herpes por muito tempo depois que as bolhas desaparecem.


Sintomas do Herpes Zoster

Os sintomas do herpes geralmente afetam apenas uma pequena parte de um lado do corpo. Esses sintomas podem incluir:

  • Dor, queimação ou formigamento

  • Sensibilidade ao toque

  • Uma erupção vermelha que começa alguns dias após a dor

  • Bolhas cheias de líquido que se rompem e formam crostas

  • Coceira

Algumas pessoas também experimentam:

  • Febre

  • Dor de cabeça

  • Sensibilidade à luz

  • Fadiga

A dor geralmente é o primeiro sintoma do herpes zoster. Para algumas pessoas, a dor pode ser intensa. Dependendo da localização da dor, às vezes pode ser confundida com problemas cardíacos, pulmonares ou renais. Algumas pessoas sentem dor sem nunca desenvolver a erupção do herpes zoster.

Mais comumente, a erupção cutânea se desenvolve como uma faixa de bolhas que envolve o lado esquerdo ou direito do tronco. Às vezes, a erupção cutânea ocorre ao redor de um olho ou em um lado do pescoço ou rosto.


As condições mais graves de herpes zoster ocorrem quando:

  • A dor e a erupção cutânea ocorrem perto do olho. Se não for tratada, esta infecção pode causar danos permanentes aos olhos.

  • Você tem 50 anos ou mais. A idade aumenta o risco de complicações.

  • Você ou alguém da sua família tem um sistema imunológico enfraquecido. Isso pode ser devido a câncer, medicamentos ou doenças crônicas.

  • A erupção é generalizada e dolorosa.

Causas do herpes zoster

O herpes zoster é causado pelo vírus varicela-zóster – o mesmo vírus que causa a varicela (catapora). Qualquer pessoa que tenha tido varicela pode desenvolver herpes zoster. Depois de se recuperar da varicela, o vírus entra no sistema nervoso e permanece inativo por anos.

Às vezes, o vírus é reativado e viaja pelas vias nervosas até a pele – produzindo herpes zoster. Mas nem todo mundo que teve varicela desenvolverá herpes zoster.

A razão para o herpes zoster não é clara. Pode ser devido à diminuição da imunidade a infecções à medida que as pessoas envelhecem. A zona é mais comum em adultos mais velhos e em pessoas com sistema imunológico enfraquecido.

A varicela-zoster faz parte de um grupo de vírus chamados vírus do herpes. Este é o mesmo grupo que inclui os vírus que causam herpes labial e herpes genital. Como resultado, as erupções cutâneas também são conhecidas como herpes zoster. Mas o vírus que causa a varicela e o herpes zoster não é o mesmo que causa o herpes labial ou o herpes genital, que é uma infecção sexualmente transmissível.


Herpes Zoster é contagioso?

Uma pessoa com herpes zoster pode transmitir o vírus varicela-zóster para qualquer pessoa que não esteja imune à varicela (catapora). Isso geralmente ocorre através do contato direto com as feridas abertas da erupção cutânea. Uma vez infectada, porém, a pessoa desenvolverá varicela em vez de herpes zoster.


A varicela pode ser perigosa para algumas pessoas. Até que as bolhas do herpes cicatrizem, esta condição é contagiosa. Evite contato físico com qualquer pessoa que ainda não tenha contraído catapora ou que não tenha tomado a vacina contra catapora. Isso inclui pessoas com sistema imunológico enfraquecido, mulheres grávidas e recém-nascidos.


Fatores de risco do herpes zoster

Qualquer pessoa que já teve varicela (catapora) pode desenvolver herpes zoster. A maioria dos adultos já teve varicela quando eram crianças. Isso foi antes da disponibilidade da vacinação infantil de rotina que agora protege contra a varicela. Fatores que podem aumentar o risco de desenvolver herpes zoster incluem:

  • Idade. O risco de desenvolver herpes zoster aumenta com a idade. O herpes geralmente ocorre em pessoas com mais de 50 anos. E pessoas com mais de 60 anos têm maior probabilidade de apresentar complicações mais graves.

  • Algumas doenças e reações pós cirúrgicas. Doenças que enfraquecem o sistema imunológico, como HIV/AIDS e câncer, e recuperação pós cirurgica podem aumentar o risco de herpes zoster.

  • Tratamentos contra o câncer. A radiação ou a quimioterapia podem diminuir sua resistência a doenças e desencadear herpes zoster.

  • Alguns medicamentos. Medicamentos que previnem a rejeição de órgãos transplantados podem aumentar o risco de herpes zoster. O uso prolongado de esteroides, também pode aumentar o risco de desenvolver herpes zoster.

Complicações do herpes zoster

As complicações do herpes zoster podem incluir:

  • Neuralgia pós-herpética. Para algumas pessoas, a dor do herpes continua muito depois de as bolhas terem desaparecido. Esta condição é conhecida como neuralgia pós-herpética. Ocorre quando as fibras nervosas danificadas enviam mensagens confusas e exageradas de dor da pele para o cérebro.

  • Perda de visão. O herpes dentro ou ao redor do olho (zona oftálmica) pode causar infecções oculares dolorosas que podem resultar em perda de visão.

  • Problemas neurológicos. O herpes pode causar inflamação do cérebro (encefalite), paralisia facial ou problemas de audição ou equilíbrio.

  • Infecções de pele. Se as bolhas do herpes zoster não forem tratadas adequadamente, podem ocorrer infecções bacterianas na pele.

Prevenção do herpes zoster

A vacina contra herpes zoster pode ajudar na prevenção e é recomendada para adultos acima de 50 anos e pessoas a partir de 18 anos que tenham risco aumentado para herpes zóster que têm sistema imunológico enfraquecido devido a doenças ou medicamentos.

A vacina contra herpes zoster não garante que você não terá herpes zoster. Mas provavelmente reduzirá o curso e a gravidade da doença. E provavelmente diminuirá o risco de neuralgia pós-herpética.


A vacina contra herpes zoster é usada apenas como forma de prevenir o herpes zoster. Não se destina a tratar pessoas que atualmente têm a doença.



Pesquisa Científica de Acupuntura no Tratamento da Herpes Zoster

Pesquisadores do Hospital Provincial Zhongshan de Zhejiang conduziram um ensaio clínico que investigou a eficácia da integração de tratamentos de eletroacupuntura com a administração do medicamento pregabalina. Os resultados mostram que a adição da eletroacupuntura à terapia medicamentosa melhora o alívio da dor, atenua a ansiedade e melhora a qualidade do sono em pacientes com NPH. [1]


A escala visual analógica (EVA) e o inventário breve de dor (BPI-SF) foram utilizados para avaliar os níveis de dor. A escala hospitalar de ansiedade e depressão (HADS) e o índice de gravidade da insônia (ISI) foram utilizados para avaliar o estado mental. Em T1 (duas semanas após o tratamento) e T2 (quatro semanas após o tratamento), os escores de VAS, HADS, ISI e BPI-SF apresentaram reduções saudáveis ​​em ambos os grupos, com melhorias mais significativas na eletroacupuntura 2 Hz alternada com 100 Hz grupo. Outro grupo que recebeu eletroacupuntura de 2 Hz apresentou melhorias significativas.

Um total de 50 pacientes com NPH internados no hospital participaram do ensaio clínico. Eles foram randomizados em um grupo de tratamento de 2/100 Hz e um grupo de tratamento de 2 Hz, com 25 casos em cada grupo. Os pacientes de ambos os grupos tomaram 75 mg de pregabalina (Pfizer Inc.) por via oral, duas vezes ao dia, durante quatro semanas consecutivas. Um caso desistiu do grupo de tratamento 2/100 Hz por motivos pessoais. Os pacientes preencheram os seguintes critérios: a dor durou mais de um mês após a cicatrização da erupção cutânea, a dor é em queimação, aguda, entorpecente ou coceira; surgiram sintomas de ansiedade ou depressão; perda de confiança na vida e até tendências ao suicídio estavam presentes. Aqueles com áreas faciais, períneo ou órgãos internos afetados foram excluídos da pesquisa.


Pontos de Acupuntura no Tratamento da Herpes Zoster

Para o grupo 2/100 Hz, os pontos primários de acupuntura selecionados incluíram pontos Jiaji (EX-B2) e ashi. Para os pontos Jiaji, foram utilizados os pares acima, acima e abaixo da área afetada. Para os pontos ashi, foram utilizados apenas aqueles localizados onde a pele havia se recuperado.


Os pontos suplementares de acupuntura incluíram Hegu (LI4) e Waiguan (TB5). Para pacientes cuja dor envolvia áreas abaixo da cintura, Yanglingquan (GB34) e Qiuxu (GB40) também receberam tratamento.


Os pacientes posicionaram-se lateralmente e a área afetada foi exposta. Para os pontos de acupuntura Jiaji, agulhas (0,25 mm x 40 mm) foram inseridas perpendicularmente a uma profundidade de 0,5 a 1,0 cun. Para os pontos ashi, agulhas do mesmo tamanho foram inseridas ao longo dos nervos afetados. Foi aplicado o método de inserção oblíqua, com as agulhas formando um ângulo de 15 graus em relação à superfície da pele. Um total de 10 a 15 agulhas filiformes foram inseridas nos pontos ashi, com espaçamento de um centímetro entre os pontos de acupuntura. Hegu, Waiguan, Yanglingquan e Qiuxu seguiram a mesma técnica de Jiaji. Um dispositivo de eletroacupuntura foi então empregado. Um eletrodo foi conectado a um ponto Jiaji e o outro eletrodo foi ligado a um ponto Ashi. Uma onda dispersa e densa foi definida em 2/100 Hz. Os tratamentos duraram 30 minutos cada sessão, em dias alternados, durante quatro semanas consecutivas.


Os pacientes do grupo 2 Hz, a seleção do ponto, a técnica de agulhamento e o uso de eletrodos foram idênticos aos do grupo 2/100 Hz. Porém, a frequência do aparelho de eletroacupuntura foi fixada em 2 Hz. O grupo 2/100 Hz teve a maior taxa de resultados positivos para os pacientes.


Referência: [1] Ren Leilei, Sun Ruohan, Li Shimin, Bian Zhiyuan, etc., Efficacy Comparasion of Electroacupuncture with Different Frequencies Combined with Pregabalin for Postherpetic Neuralgia, Shanghai Journal of Acupuncture and Moxibustion, Feb 2023, Vol 42, No 2.




Leia mais:

1.645 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page